Curso de aeromoça

O que os comissários fazem quando alguém passa mal em um voo?

Comissário de Voo

Acompanhar todo o voo, tirar dúvida de passageiros, acomodar bagagens, servir alguém e zelar para que tudo corra bem durante o voo, estão dentre as atividades que devem ser executadas pelos comissários de bordo.

E se um imprevisto acontecer?

Se um passageiro passar mal, os comissários será responsável pelos primeiros procedimentos.

Por isso, para exercer essa profissão, a pessoa precisa estar bem preparada. São várias as responsabilidades de quem quer seguir essa carreira. Confira:

Problemas de saúde comuns em voos

Para se ter uma noção mais real do que pode acontecer, é importante saber que uma exigência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) é que que esses profissionais passem por um treinamento intensivo de sobrevivência na selva.

Embora os problemas de saúde sejam relativamente raros, nos voos comerciais os profissionais precisam estar capacitados para prestar os primeiros atendimentos.

Uma das coisas que podem acontecer é da pessoa com mais idade ou com algum tipo de problema circulatório se sentir mais cansada durante o voo.

Isso acontece porque, devido a alteração de pressão existente, a quantidade de oxigênio do sangue pode ficar abaixo do valor considerado normal.

Há também casos em que pacientes com problemas respiratórios como asma e que não se hidratam bem, durante uma viagem longa, apresentarem algumas crises devido a desidratação.

Náuseas devido a muita turbulência ou algum trauma por queda, por exemplo, também estão dentre as ocorrências mais frequentes.

Um passageiro passou mal, o que os comissários deve fazem?

O comissário de bordo deve manter a calma e ser ágil. Avisar o capitão da aeronave e tentar localizar um passageiro que seja médico ou profissional da saúde e que possa ajudar são os primeiros procedimentos.

Na maioria dos casos, um médico está a bordo e poderá ajudar no socorro.

O médico ou profissional que vá ajudar poderá prestar os primeiros socorros e informar o que está acontecendo com mais clareza.

Quem vai decidir por alterar a rota ou realizar um pouso de emergência, por exemplo, é o piloto.

Para isso, ele precisará observar a distância de onde vocês estão até um local no qual o pouso seja possível, as condições climáticas, capacidade do aeroporto mais próximo entre outros.

Pode ser que o médico que está ajudando oriente a realizar um pouso, mas nem sempre isso será possível.

Muitas vezes, o piloto acaba diminuindo um pouco a altitude, para tentar melhorar a oxigenação da cabine.

Enquanto isso, o médico pode usar o básico que está disponível dentro do avião.

Dentre eles, os fármacos variados, como:

  1. Adrenalina;
  2. Aspirina;
  3. Antiarrítmicos;
  4. Broncodilatadores;
  5. Atropina;
  6. Anti-histamínicos;
  7. Analgésicos;
  8. Soro fisiológico.

E também alguns equipamentos e materiais de primeiros socorros, como:

  1. Agulha;
  2. Seringa;
  3. Estetoscópio;
  4. Gaze;
  5. Desfibrilador;
  6. Máscara de ambu;
  7. Balas de oxigênio;
  8. Material para intubação da traqueia.

Cabe ao comissário, durante esses procedimentos, auxiliar no que for solicitado, fornecer o material que o médico pedir e manter o piloto informado, para que a melhor decisão possa ser tomada.

Sempre que necessários, os passageiros do voo devem ser acalmados e a descrição no atendimento deve ser a maior possível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.